quinta-feira, janeiro 17, 2019

Arrume o seu guarda roupa

Estamos acostumados a guardar muitas coisas que passam pela nossa vida. Coisas que damos muita importância, coisas que sentimos obrigação de tê-las e outras que sequer sabemos de onde vieram.

Imagine você quando compra roupas novas. Chega à sua casa com diversas peças de roupas e começa a arrumá-las no seu guarda roupa junto com as roupas antigas.

Quando abre o guarda roupas certamente tem uma quantidade enorme de peças que talvez nunca mais vá usar ou algumas que pouco usou. O fato de acumular coisas dá à pessoa a sensação de conforto e segurança, pois transferem ao objeto acumulado uma necessidade emocional.

E quantas outras coisas são tratadas da mesma maneira nas nossas Vidas? Quantas pessoas, quantos sentimentos, quantas situações velhas estão penduradas no nosso “guarda-roupa” e não tem mais nenhum significado especial em nossa vida, mas que de alguma forma ocupam um espaço pela nossa necessidade emocional?

Esta mudança até parece simples, mas não é, pois para mudar precisamos de duas ações: uma é o desejo de querer mudar aquilo que nos gera sofrimento ou dependência e a outra é gerar um movimento para que esta mudança aconteça.

Como no guarda roupa, precisamos limpá-lo por partes, não adianta querer mexer em todas as gavetas e portas ao mesmo tempo. Assim como cada compartimento deve ser tratado individualmente, cada dor e sofrimento devem ser tratados em nosso sistema emocional de forma única, pois podem ter origens diferentes e quando colocamos tudo no mesmo pacote corremos o risco de deixar alguma coisa de fora.

Escolheu a gaveta que quer limpar? Coloque TUDO para fora e avalie o que te serve e o que não vale a pena guardar mais.

Nossa vida é feita de ciclos que se modificam de acordo com o nosso momento de vida. Assim como usamos roupas em um momento de nossa vida que depois em outros não nos servem mais ou não se adequam mais ao nosso corpo, a nossa idade, os nossos ciclos de vida adequam-se as necessidades do nosso momento e para que cumpra a sua função deve ser observado e respeitado.

É assim com aquele casamento que acabou e que você insiste em querer discutir a relação para tentar salvar, é assim com aquele trabalho que não te dá mais prazer, mas você insiste em ficar lá pela comodidade, é assim com aqueles amigos que  não te trazem mais prazer na companhia, mas você insiste em manter uma relação por pura carência e preguiça de fazer novas amizades, é assim com tudo o que não nos dá prazer, mas insistimos em manter perto da gente, por quê?

Não sejamos prisioneiros das roupas velhas que estão no nosso guarda roupa. Sejamos gratos às coisas que em momentos foram importantes, mas tenhamos a coragem de olhar para elas e assumir que existe uma necessidade de mudar para que um novo ciclo possa se iniciar. 

A liberdade  ocorre apenas quando rompemos e nos desligamos daquilo que não nos faz bem.

Renove as suas energias, encoraje-se para dar novos sentidos a sua vida, Agradeça às coisas que te serviram e deixe-as para que o universo de a elas o melhor destino, pois somente assim iniciará um novo momento na sua Vida.

Arrume o seu Guarda-Roupa  e Seja Feliz!

Luís Guilherme Campos Santos